Começando…

Pacificando é gerúndio.

Aqui não há nada pronto, nem exato. Há caminhos sendo construídos ao tempo em que são trilhados. Caminhos em busca de paz.

Aqui vamos pacificando as relações, a auto-imagem, a doença, a cura, os sonhos, os pesadelos, a vida.

Construindo, caminhando, buscando… aqui é tudo gerúndio. Tudo impermanente. Tudo passível de mudanças.

Porque quando a gente olha pedra e só vê pedra, a solidez do mundo parece que oprime e sufoca a gente. Mas quando a gente se dá conta de que o nome daquele best-seller dos anos 80, Tudo que é sólido desmancha no ar, de Marshall Berman, é a coisa mais verdadeira que alguém já disse, a respiração da gente até flui melhor. Aí a gente olha pedra e consegue ver flor, nuvem, passarinho… vazio.

Então é isso. Aqui nada é certo, a não ser a incerteza. E está tudo bem assim. Do jeito de cada um. Do modo que der pra ser.