terapias holísticas

Os florais e o medo

Fotos: Pixabay

Eu já havia ouvido falar dos florais de Bach, mas o que me aproximou definitivamente deles foi o medo da Rosinha. A minha caçula tinha medo de bichos. Não só de cobras, leões ou cachorros bravos. Rosinha ficava paralisada diante dos pombos na pracinha, das formigas, das moscas de padaria… Eventualmente, ela ainda pode fazer isso. Mas hoje já consegue rir de si mesma e até fazer amizade com os cachorrinhos.

Foto: Pixabay

O nome dessa florzinha amarela é Mimulus. Ela é delicada, pequena e é dela que se extrai a essência floral que ajudou a minha caçula a lidar com os seus medos. A essência floral de Mimulus ajuda a lidar com medos específicos e precisos de pessoas geralmente tímidas ou até de bebês que estranham lugares novos. E foi como um bálsamo para a minha Rosinha.

Uma das coisas que acho mais lindas nos florais de Bach é que eles surgiram como um método de auto-cura. O médico inglês Edward Bach havia sido desenganado pelos seus colegas após uma hemorragia digestiva severa, sucedida por uma cirurgia de emergência. Deram-lhe apenas 3 meses de vida. E ele viveu mais 19 anos. Morreu dormindo, logo após afirmar que seu sistema de cura, composto por 38 remédios baseados em essências florais, estava completo.

Os florais, como todas as demais terapias holísticas, não tratam doenças. Tratam pessoas adoecidas. Não há um floral pra dor de barriga, porque a sua sempre será diferente da minha. A essência floral lida com energia e pra que que eu saiba qual é a aquela que vai lhe ajudar, é preciso que eu a escute. Mas é também preciso que a sinta. Porque as palavras não dizem tudo. Em alguns casos, aliás, elas não dizem quase nada. O corpo, os gestos, os olhares e até a entonação que você dá às palavras que diz são capazes de demonstrar bem melhor de que tipo de ajuda você precisa.

Rosinha não é só Mimulus. E aquele seu amigo que é fechado e não gosta de falar das próprias emoções também não é só Water Violet. Somos um mosaico de muitas energias e emoções diferentes. Aliás, não somos. Estamos. Os florais tratam do agora. Mês que vem a gente conversa e vê como fica. Como ficou. Como a gente quer que fique. Pode ser que a dor de barriga por causa do Enem tenha passado e agora tenha aparecido uma certa ansiedade diante de um novo universo chamado universidade. Ok. Os florais também vão ajudar a lidar com isso.

Há algumas flores que nos acompanham durante longos períodos da vida. Talvez até durante a vida inteira. Há outras que nos apoiam em momentos específicos. Particularmente, acho quase poético poder me apoiar nas flores e caminhar assim, com um pouco mais de leveza e um pouco menos de dor.